em

Nicholas Meregali e Victor Hugo ganham com mata-leão no UFC Fight Pass Invitational 6

Craig Jones, no main event, Nicky Rod e Mason Fowler também saem vitoriosos no card

FPI
Apenas duas lutas foram defininas por decisão. Oito combates do FPI 6 foram concluídos com finalizações dos seus vencedores. Arte: UFC Fight Pass

Com expectativas altíssimas turbinadas pelas falas de Nicholas Meregali pré-evento, mais uma edição do UFC Fight Pass Invitational, a de número 6, aconteceu no UFC Apex, em Las Vegas, nos Estados Unidos. Meregali, como já é de costume, fez a sua parte na promoção da luta e dentro do tatame. Na disputa que foi a terceira do card principal, contra Matheus Diniz, o campeão da New Wave impôs jogo dominante, se aproveitando de todas as oportunidades para parar nas costas do seu adversário e finalizar por mata-leão. Na execução da finalização, Meregali balançou a cabeça em gesto negativo, provavelmente por descontentamento, já que a sua projeção anterior havia previsto um armlock. Na entrevista depois de ser declarado vencedor, Nicholas pediu Craig Jones e Nicky Rod, jogando para escanteio o desejo manifestado por Victor Hugo, no mesmo palco, de lutar contra ele.

Victor Hugo foi o vencedor do primeiro combate do card principal do FPI 6. No confronto contra Roosevelt Sousa, VH entrou focado para imprimir o seu ritmo desde o início. Executando uma sequência infalível de pegada de costas seguida de mata-leão, Victor estrangulou Roosevelt. Ao ser questionado na entrevista sobre o nome de alguém com quem gostaria de lutar, Victor pediu a opinião dos fãs, mas acabou citando Nicholas Meregali. Disputa que faria 100% de sentido diante do bom momento dos dois na carreira.

Nicky Rod e ‘The Natural’ foram responsáveis por uma das lutas mais eletrizantes da noite

Em termos de intensidade, Nicky Rod e Roberto Jimenez deram tudo de si no tatame montado pelo UFC. Um duelo marcado por agilidade, transição e gás muito em dia de ambos os lutadores. Foi no overtime que a troca de forças encontrou o seu auge e quem levou a melhor foi Nicky, conseguindo acumular seis pontos no placar para definir a sua vitória.

Outro brasileiro que compôs o card foi Pedro Marinho, representante da Gracie Barra, em disputa contra Mason Fowler. Pedro começou bem, conseguindo aplicar uma queda em Mason que o colocou temporariamente em ritmo de vantagem. Porém, a boa recuperação de Fowler no decorrer do tempo regulamentar, mais o overtime, fez com que ele conseguisse boas sequências de pontuação até culminar na finalização: um katagatame.

Craig Jones leva a melhor sobre Rafael Lovato Jr. no main event

No main event da noite, o veterano Rafael Lovato Jr. enfrentou Craig Jones, uma personalidade à parte, que entrou no tatame com um short, digamos, ousado, em homenagem à torcida brasileira. Jones não precisou de muito tempo após a autorização do início do combate para definir a luta. Com 1:12 de tempo decorrido, o atleta da B-Team finalizou Rafael na chave de calcanhar.

No card preliminar do FPI 6, duas lutas foram marcadas por maior intensidade. A primeira delas ficou por conta do enfrentamento entre Jay Rodrigues, irmão de Nicky Rod, e Jhonatha Alves, um dos faixas-pretas da constelação da AOJ. No decorrer da luta, a disposição e o nível técnico de Jay impressionaram a audiência, ainda mais levando em consideração a sua graduação: faixa-azul de Jiu-Jitsu. Para definir o vencedor, foi necessário o tempo regulamentar e o overtime. Na prorrogação, Jay consolidou o seu jogo e finalizou Alves com um mata-leão.

Definida pelas papeletas, combate entre Junior x Steele empolgou

A única luta definida por decisão dos árbitros do card preliminar, todas as outras terminaram por finalização, foi uma das mais empolgantes dessa fatia do card. Durante o combate entre Ronaldo Junior e Kody Steele, Ronaldo adotou uma estratégia que fez com que ele chegasse com facilidade nas costas do adversário. Contudo, a finalização não se concretizou. No overtime, os destaques foram uma guilhotina quase letal por parte de Ronaldo e um suplex impressionante aplicado por Steele. O domínio de Junior no tempo regulamentar pesou na decisão e ele foi definido ganhador por unanimidade.

Na primeira luta da noite, Raquel Canuto inaugurou o evento com uma sequência do mais puro Jiu-Jitsu brasileiro. Foi levada ao chão por uma queda, mas se reergueu raspando, montando e dominando as costas. O desfecho foi um mata-leão. Shane Shapiro, em sua terceira vitória no FPI, superou Ben Eddy com uma finalização por katagatame na prorrogação. Na segunda disputa feminina, Gigi Canuto finalizou Denise Gomes com uma chave de calcanhar após uma breve recuperação da lutadora de MMA do UFC.

Avatar photo

Escrito por Emmanuela Oliveira

Emmanuela Oliveira é faixa-marrom de Jiu-Jitsu e formada em Comunicação Social. Dentro do tatame, aprendeu que é possível conjugar Jiu-Jitsu, escrita e o gosto pelas artes visuais em um só pacote.

Jansen Gomes brilha como desafiante campeão e Bia Mesquita é avassaladora ao finalizar no ADXC 3

Marcos Cunha é uma referência no ensino do Jiu-Jitsu

Finte a guarda-X e finalize na botinha, com Marcos Cunha