em

Nicholas Meregali: herói ou vilão do Jiu-Jitsu?

Nicholas Meregali é novo rei do Jiu-Jitsu. Foto: BoroJitsu

Nicholas Meregali agora é o atual campeão Pan-Americano absoluto, depois de uma campanha impecável. Foram sete 7, sete vitórias e 6 finalizações entre o pesadíssimo e o absoluto.

Nicholas somente não finalizou a final contra Erich Munis, mas foi dominante do início ao fim para fazer 11 pontos, ao raspar, passar e montar no adversário.

Em entrevista ao VF Comunica antes do Pan-Americano, Nicholas tinha dito que queria trazer mais mídia e entretenimento para que o Jiu-Jitsu não perdesse espaço. De fato, ele trouxe muita atenção e expectativa, pois todos estavam esperando para ver como ele iria lutar novamente – depois da sua participação do ADCC e dedicação ao grappling.

Em uma comemoração pós luta, Nicholas disse em direção as câmeras: “eu vou salvar este esporte!”

Isso gerou um reboliço dentro da comunidade e dividiu opiniões entre os fãs, praticantes e alguns professores de Jiu-Jitsu.

Afinal, o que Nicholas quer dizer quando diz essa frase a todo tempo? Nicholas quer fazer o Jiu-Jitsu de kimono mais atrativo, mais midiático e que tenha mais atenção além da nossa comunidade, assim como já é possível ver no grappling.

Nicholas é um atleta que todo esporte precisa. Ele se expõe, fala o que pensa, traz questionamentos e gera interesse. As pessoas querem vê-lo perder, em algumas ocasiões, e outras ficam eufóricas por ver o resultado que ele conseguiu com êxito.

O alemão é um craque do esporte e combina muito bem seus resultados com o trabalho midiático. Lutou com um kimono totalmente limpo, sem marca nenhuma exposta, e fora do tatame vestiu apenas seu casaco com uma frase que gosta sempre de replicar: ser autentico tem um preço. De fato, Nicholas paga um preço por falar o que pensa.

Pelo esporte, o trabalho que ele faz fora do tatame influencia em diversos quesitos, principalmente para provar que lutas de kimono podem ser atrativas e vendáveis. É possível ter mais compra de PPV, mais audiência, mais mídia e valorização.

Os títulos que Nicholas conquista é apenas a cereja que vai compor um detalhe do bolo. Ele faz um trabalho bem feito sobre construção de marca.

A IBJJF tem uma nova joia que pode caminhar junto com ela para trazer outras oportunidades para o crescimento do esporte. Mas a questão é como a Federação pode enxergar Nicholas: herói ou vilão?

O esporte de competição pode começar a mudar não pelas medalhas, mas por conta do posicionamento dos atletas.

Avatar photo

Escrito por Vitor Freitas

Jornalista, Vitor Freitas atua diretamente na produção de conteúdo para o Jiu-Jitsu de todas as formas há 13 anos.

Mica Galvão é pego no antidoping e se pronuncia: “Vou começar do zero novamente”

Mica Galvão é suspenso por doping e perde título mundial da IBJJF