em

Mundial 2024: Ingridd Alves está pronta para “fazer história”

Faixa-preta da DreamArt vai lutar no peso médio em busca do primeiro título mundial da IBJJF na faixa-preta

Ingridd Alves foi campeã do Pan 2024. Torneio aconteceu em março na Flórida, nos Estados Unidos.
Ingridd Alves foi campeã do Pan 2024. Torneio aconteceu em março na Flórida, nos Estados Unidos. Foto: @ingriddbjj

Em busca do título que está faltando para a consagração máxima na faixa-preta, Ingridd Alves, da DreamArt, sente-se preparada para deixar seu Jiu-Jitsu fluir nos tatames azuis e amarelos da IBJJF no Mundial 2024. O torneio está em andamento em Long Beach, na Califórnia, na lendária Pirâmide, até domingo, dia 2 de junho. A atleta vai lutar no peso médio pela segunda vez na carreira e quer mostrar um “jogo mais solto”, capaz de surpreender as adversárias da divisão. 

“Sinto que a minha entrega foi de 100% durante o camp e todo o esforço será recompensado nas próximas 48 horas, o que me gera uma ansiedade boa. Acredito que vou surpreender com um jogo ainda mais solto em comparação ao que eu já fazia na categoria meio-pesado, sem nenhum prejuízo de força e fazendo valer a minha envergadura, que é maior do que a da grande maioria das minhas oponentes.”, analisou Ingridd, em conversa com VF Comunica.

Na temporada atual, Ingridd foi campeã no Pan-Americano, torneio do Grand Slam da IBJJF realizado em março, na Flórida. No entanto, ter a sua jornada rumo ao ouro interrompida no Campeonato Brasileiro, logo na semifinal, fez com que ela trabalhasse com mais afinco na preparação para o Mundial.

Ingridd Alves, integrante da elite do esporte, se concentra antes de mais uma luta. Foto: @lunivers.athletics

“O ouro no Pan deu aquele ânimo, mas ter sido parada na semifinal do Brasileiro por um detalhe me fez virar a chave na preparação do Mundial a ponto de mudar não só o treino em si, como também o meu calendário de competições. Abri mão de lutar o Grand Slam de Abu Dhabi mesmo com tudo pago. De verdade, a melhor professora que pode existir é a derrota e, graças a Deus, tenho a oportunidade de provar agora mesmo que aprendi a lição.”, comentou a faixa-preta, com fome de vitória.

Título no Mundial da IBJJF é a meta do momento

Bicampeã do World Pro da AJP, em Abu Dhabi, Ingridd agora quer alcançar mais um título mundial, só que desta vez na IBJJF. Para ela, será a chance de olhar para carreira e vê que chegou ao topo do esporte profisisonal.

“Como já sou bicampeã do World Pro na faixa-preta, conquistar o título mundial também na IBJJF significa que, indiscutivelmente, cheguei ao topo do esporte. Realizar o sonho de ser campeã mundial em ambas as federações vai fazer valer todo o sacrifício daquela faixa branca desengonçada e fora de forma que por algum tempo foi a mais “mole” do tatame instalado no fundo de um quintal mas, sem pegar nenhum atalho, evoluiu até se tornar a melhor do mundo.”, disse inspirada.

A faixa-preta falou sobre a rede de apoio que tem, fundamental para amparar cada parte desse conjunto de exigências do esporte de alto rendimento. Ingridd é confiante e consciente, nas medidas corretas, e sabe que toda glória é consequência de um trabalho duro. Parte do caminho já foi percorrido – treinos, abdicações, foco constante e ausência de ego para melhorar sempre. Agora, como ela mesma diz, é o momento de “fazer história.”.

“Tenho o dever de estar à altura de quem investe em mim. Eu integro o melhor time de competição do mundo (Guigo + Dream Art) e estou cercada de profissionais de elite, além de contar com o apoio da minha torcida e dos meus patrocinadores Future e M3BS Advogados, eles são incríveis. No alto rendimento não há margem para amadorismo, sou acompanhada de perto pelo Cacio Zanon (psicólogo do esporte), Carol Bueno (fisioterapeuta), Maira Baracioli (nutricionista) e Victor Sanches (preparador físico). É uma rotina bastante exaustiva e se torna ainda mais desafiadora porque todo mês estou competindo fora. Às vezes brinco que a cada campeonato fico mais louca, mas no futuro tenho certeza de que vou olhar para trás com muito orgulho e saudosismo dos dias de luta e de glória que estou vivendo hoje.”, concluiu Ingridd.

Avatar photo

Escrito por Emmanuela Oliveira

Emmanuela Oliveira é faixa-marrom de Jiu-Jitsu e formada em Comunicação Social. Dentro do tatame, aprendeu que é possível conjugar Jiu-Jitsu, escrita e o gosto pelas artes visuais em um só pacote.

Mundial 2024: Tainan Dalpra e Jansen Gomes podem se enfrentar no absoluto?

Luciano Bernert fala sobre sucesso da equipe e aponta jovens promessas da equipe do Mundial 2024