em

Giovanna Jara analisa duelo com Tayane e comenta estreia na elite

Giovanna Jara reinou no Grand Slam Miami. Foto: Reprodução/Instagram

Giovanna Jara teve uma estreia meteórica na faixa-preta e já terá um desafio gigantesco pela frente em seu segundo campeonato na elite do esporte. A representante da Fratres Jiu-Jitsu vai enfrentar Tayane Porfírio na primeira edição do ADXC, no dia 20 de outubro, em Abu Dhabi. 

Giovanna, que é apontada como uma futura estrela do Jiu-Jitsu, fará um duelo de gerações com uma das maiores campeãs da história da modalidade. O confronto é válido pelo peso pesado e será um dos combates com kimono do card principal. 

Em entrevista ao VF Comunica, Giovanna Jara analisou o duelo com Tayane e destacou como acredita que vai derrotar a adversária.

“Vai ser uma luta muito boa, sempre quis lutar com a Tayane. Nós estamos voltando às competições e esse combate vai ser muito bom para meu primeiro ano na faixa-preta. Creio que vou ganhar a luta com finalização nas costas. Sou uma atleta muito explosiva, então tenho uma vantagem nesse campeonato”, afirmou Giovanna.

A atleta de 20 anos foi o principal destaque entre as mulheres no torneio da AJP. Giovanna obteve 100% de letalidade ao finalizar as três lutas que disputou na divisão -95kg. Na final, ela precisou de apenas 43 segundos para estrangular a também perigosa Kauane Rocha com um arco e flecha. Ela avaliou sua primeira experiência na faixa-preta e contou que o espírito competitivo falou mais alto quando ela cogitou não se cobrar tanto pela performance.

“Quando decidi lutar o Grand Slam, comecei a trabalhar a minha cabeça em não me cobrar tanto nesse campeonato, pois era minha volta e eu não sabia como seria. Só que confio muito em mim e no meu Jiu-Jitsu, então no fundo eu sabia que daria conta de tudo”, declarou a campeã.

Giovanna ficou quatro meses afastada das competições devido a uma lesão na perna. Durante a sua recuperação, ela ressaltou que focou em fazer ajustes para se tornar uma lutadora ainda mais letal.

Ajustei muitas posições no meu jogo que passavam despercebidas por eu ser faixa colorida. Depois de tudo isso, minha mentalidade melhorou 100% depois da minha lesão. Sou uma atleta imprevisível e completa, consigo jogar tanto por cima quanto por baixo. Hoje em dia, uma atleta completa e com um jogo agressivo consegue se destacar.

Mesmo nos tempos de faixa-marrom, Giovanna foi testada na elite e provou-se uma competidora de outra espécie. Ela travou inúmeros confrontos equilibrados com a rainha Gabi Pessanha e chegou perto de derrotá-la. Ela confirmou que deseja medir forças novamente com Gabi.

“Eu sou movida a desafios, então eu quero enfrentar a melhor do Jiu-Jitsu feminino, que é a Gabi Pessanha. Ela é uma atleta que tenho muita admiração e todas nossas lutas são guerras”, finalizou Giovanna.

Avatar photo

Escrito por Gabriel Almada

Jornalista aficionado por luta e faixa-roxa de Jiu-Jitsu

Charles do Bronxs diz como quer vencer no UFC e fala sobre Meregali

Atleta da Pitbull Brothers estreia no Bellator contra irlandês em ambiente hostil